A Erva-Mate e os Primórdios da América Nossa

Há cerca de 2.500 anos

Os Guaranis estavam no território fronteiriço do atual MERCOSUL entre o Sul do Brasil, Paraguai, Argentina e Uruguai. A erva-mate estava presente neste território muito antes desta data e tão logo chegaram descobriram o poder fitoterápico da planta.

Em 1492 se descobre a América

Tratado de Tordesilhase já em 1494 o Tratado de Tordesilhas dividia o território brasileiro deixando o território espanhol ocupar mais de 2/3 do que chamamos hoje de Brasil. A linha divisória estava desde Laguna em Santa Catarina até a Ilha do Marajó ao Norte.

Em 1588 os Jesuítas chegam a esta área espanhola

na principal cidade daquele tempo que era Asunción e se aproximaram muito dos Guaranis, especialmente os defendendo da escravidão do mundo espanhol, às encomendas. Inicialmente saíram pelas selvas para cristianizar os índios em missões volantes, momento em que viram grande quantidade de erva-mate e de índios aptos à cristianização. Em 1609 iniciaram a primeira redução – San Ignácio Guazú – onde hoje é Paraguai. Já no ano seguinte começam a fundar reduções onde hoje é o estado do Paraná, chamado naquele período de Guairá, aí fundam 13 reduções, depois 8 onde hoje é o Mato Grosso do Sul e finalmente a partir de 1626, 18 reduções no Rio Grande do Sul. Estas reduções foram destruídas pelos Bandeirantes que aprisionaram e mataram cerca de 600.000 Guaranis.

Foram os jesuítas os primeiros a promover o uso do mate

por sua atividade estimulante, o que permitiu aumentar o potencial de trabalho nas missões indígenas e diminuir o consumo de álcool.

A partir de 1682 a organização, produção e comercialização aumentaram muito.

Montesquieu chamou de ‘primeiro estado industrial da América’, onde os grandes ervais foram à base das exportações para a Europa, Buenos Aires, Chile e Peru. Naquele tempo foi considerado o “ouro verde”, ou chamada ainda de “chá dos jesuítas”.

O processo era de colheita da erva-mate na grande floresta ao norte das reduções.

EstânciasNaquele tempo dentro dos 7 Povos das Missões a redução de Santo Ângelo Custódio era o grande produtor e exportador. O Grande erval estava nas regiões onde hoje estão os municípios de Frederico Westfalen e Erexim, chamada de Inhacorá, mas também em áreas mais altas de todo o estado do Rio Grande do Sul.

Há textos dos Jesuítas que contam como a erva-mate era levada até o Oceano Pacífico em grandes viagens de carretas que iam protegidas por pequenos exércitos dos guaranis, pois índios de outras regiões como o Chaco queriam muito apropriar-se da carga, o que fazia com que a segurança fosse aumentada. Imagine-se ultrapassar os Andes com 70 ou mais carretas carregadas até chegar ao outro lado do continente em viagens de ano de duração.

A solidariedade também foi uma característica importante das Missões.

MissõesConscientes da importância do mate, as missões os trocavam por cobre e outros materiais e bens necessários ao desenvolvimento local. Os padres jesuítas conseguiram encontrar um sistema de fecundação e de cultivo que proporcionavam alta produtividade, os 160 anos da experiência Missioneira foi definitivamente marcada pela produção do binômio erva-mate e pecuária, base do que hoje chamamos de ‘mundo gaúcho”, o chimarrão e o churrasco.

 

José Roberto de OliveiraFonte:
José Roberto de Oliveira
Pesquisador, Mestre em Desenvolvimento
joseroberto_deoliveira@yahoo.com.br – 55 99638.6360


Clube do Mate Oficial
Somos todos parte de uma grande família

Comentários (1)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com